sexta-feira, 6 de junho de 2008

A descida ao local mais profundo do planeta

No dia 23 de janeiro de 1960, o engenheiro oceanográfico e explorador Jacques Piccard e o tenente da marinha americana Donald Walsh realizaram uma das maiores e mais arriscadas aventuras de todos os tempos: “pousaram” com o submergível Trieste na depressão Challenger, distante 11 mil metros da superfície do mar.
Jacques Piccard

O lugar mais profundo do mundo, a depressão Challenger é o ambiente mais extremo da Terra. A pressão da água é de inimagináveis 11 mil toneladas por m² ou 1100 vezes a pressão atmosférica. Para se ter uma idéia do que isso representa, submarinos militares normalmente só conseguem descer a no máximo 300 metros de profundidade e o gás de cozinha (GLP) de um botijão domestico está sob uma pressão de “apenas” 150 toneladas por m² ou 15 vezes a pressão atmosférica. Alem disso a região da fossa das marianas é suscetível a terremotos submarinos, a temperatura da água é de poucos °C acima de zero, fendas lançam lava vulcânica, fontes hidro-termais lançam jatos de água que alcançam a temperatura de centenas de ºC e a escuridão é total.




A descida a depressão Challenger levou 5 apreensivas horas. Nos 20 minutos em que o Triste explorou o local, com a temperatura da água em 3 °C e dentro da esfera em congelantes 7 °C, Piccard (que mastigava um chocolate) e Walsh se surpreenderam ao verem peixes planos (achatados) nadando no chão da depressão Challenger, algo nunca antes imaginado. Viram peixes e criaturas bizarras nunca antes vistas e estima-se que existam muito mais seres vivos desconhecidos vivendo nessas regiões abissais. As potentes lâmpadas de vapor de mercúrio do Trieste iluminaram um local e seres vivos que nunca haviam recebido luz solar. A volta levou 3 horas e 15 minutos.

A ida a depressão Challenger foi um ato de extrema coragem. Se o Trieste não conseguisse voltar a superfície, não haveria possibilidade de resgate. O suprimento de oxigênio e de água duraria apenas alguns dias. Qualquer falha na vedação entre a janela e a esfera e entre a escotilha de entrada/saída e a esfera seria catastrófica. Durante a descida, a janela sofreu uma rachadura, o que causou um grande susto. Se a janela se rompesse, a água entraria com tamanha força e velocidade que em milésimos de segundo a tripulação seria esmagada.


Milhares de alpinistas chegaram ao topo do monte Everest, centenas de astronautas foram ao espaço, 12 homens pisaram na lua, mas apenas 2 estiveram na região mais profunda da Terra.

Piccard e Walsh nunca mais voltaram lá e não se sabe se um dia alguém voltará.
Atualmente o Trieste se encontra no Naval Historical Center, no Washington Navy Yard em Washington, DC.

2 Comentários:

Neto 16 de novembro de 2009 19:45  

muito interessante isso ai... valeu esclareci minhas duvidas...

netotecnicoctba@hotmail.com

Anônimo 30 de agosto de 2010 17:58  

muito bom

Postar um comentário

Blog Widget by LinkWithin

Busca

Blog melhor visualizado com Mozilla Firefox

Arquivo do blog

  © Blogger template 'External' by Ourblogtemplates.com 2008

Voltar ao TOPO